fbpx
Compartilhe :

Setembro Amarelo: falar sobre a prevenção do suicídio é importante

Setembro Amarelo é uma campanha criada com objetivo de conscientizar pessoas sobre a prevenção do suicídio, uma prática muito ligada à depressão.

Segundo dados da OMS, a cada 40 segundos, uma pessoa comete suicídio no mundo e mais de 800 mil pessoas tiram a própria vida todos os anos.

É importante saber que desses, 75% são moradores de países de baixa e média renda e a causa é mais frequente entre jovens com idades entre 15 e 29 anos.

Mas por que é tão importante falar sobre este assunto? Acredita-se que 90% dos suicídios podem ser prevenidos.

Portanto, na leitura deste artigo, descubra como identificar pessoas sob risco de suicídio e o que fazer para ajudar.

 

Setembro Amarelo

Em síntese, o Setembro Amarelo começou nos EUA. Segundo a história, um jovem de 17 anos, chamado Mike Emme, se suicidou em 1994.

Mike era um jovem muito habilidoso e restaurou um automóvel Mustang 68, pintando-o de amarelo. Devido a isso, ficou conhecido como “Mustang Mike”.

No entanto, seus pais e amigos não perceberam que ele tinha sérios problemas psicológicos e foi impossível evitar sua morte.

Em seu velório, muitos amigos e conhecidos criaram cartões decorados com fitas amarelas que com mensagens “se você precisar, peça ajuda.”

A partir daí, um movimento de prevenção ao suicídio começou fazendo com que os cartões chegassem a pessoas que precisavam de apoio.

Todavia, a Campanha no Brasil teve início em 2015, através do Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

É importante saber que as primeiras iniciativas foram desenvolvidas em Brasília e no ano de 2016, em vários estados e cidades do país.

De acordo com a Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio (IASP), a divulgação da campanha ocorre no mundo todo no dia 10 de setembro, data a qual é comemorada o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

 

Quais são os objetivos da Campanha?

A princípio, Setembro Amarelo surgiu para conscientizar pessoas sobre a prevenção ao suicídio, buscando alertar sobre o número de mortes no Brasil e no mundo.

Portanto, para evitar que os números cresçam ainda mais, um movimento através de conversas, diálogos e discussões foi estabelecido.

Para não haver dúvidas, o suicídio é o ato de tirar a própria vida e uma das principais causas são comportamentos e pensamentos, planos e tentativas de suicídio.

Além disso, vale a pena mencionar isso tem relação com transtornos psicológicos. Por fim, no mês de setembro ações são realizadas a fim de conscientizar a população a causa desse problema.

 

Como identificar alguém que precisa de ajuda?

Certamente, as causas do suicídio são inúmeras. Além de transtornos, depressão, vale também considerar dependência química e esquizofrenia.

De todo modo, é importante lembrar que o suicídio também acontece por situações de grande impacto, como término de relacionamento, perda de pessoas próximas, abusos ou crises financeiras.

Outro critério que deve ser considerado, é o suicídio por pessoas que sofrem discriminação, como comunidade LGBTQIA+ e refugiados.

Sendo assim, como identificar pessoas com risco de suicídio? O primeiro passo é analisar os seguintes pontos:

  • Mudanças de comportamento, como dificuldades de relacionar com família e amigos.
  • Mudanças de humor, bipolaridade, mudanças de comportamento pelo uso de substâncias químicas, excesso de sono ou fome;
  • Sentimento de culpa, solidão, baixa autoestima, falar o tempo todo de morte, apresentar personalidade agressiva ou impulsiva.

 

Como ajudar na prevenção do suicídio?

O combate ao suicídio só é possível após identificar os sinais que a pessoa emite. Sendo assim, o primeiro passo é o diálogo, deixe que a pessoa fale e evite julgamentos.

Portanto, além de demonstrar a sua vontade de ajudar, ela se sentirá confortável para falar o que sente. Além disso, para ajudar, estabeleça as seguintes ações:

  • Demonstre calma e empatia
  • Dê todo apoio necessário e demonstre afeto
  • Pergunte se já teve algum pensamento ou tentativa de suicídio
  • Deixe a família e amigos a par da situação.
  • Permaneça ao lado da pessoa com transtornos
  • Procure entender os sentimentos da pessoa
  • Mostre constantemente que você se preocupa

 

O que não fazer em situações como essa?

De fato, saber o que não fazer também é importante, caso conheça alguém nesta situação.

Portanto, não ignore e evite entrar em pânico ou dizer que tudo vai ficar bem sem tomar as medidas certas para ajudar.

Em suma, não deixe a pessoa pensar que o problema dela não tem importância. No mais, evite deixar a pessoa sozinha, procure ajuda e não a julgue por suas atitudes.

 

Como encontrar redes de apoio?

Após entender a situação, comunicar a família e amigos, é importante incentivar a pessoa a procurar a ajuda de um especialista, logo, é possível evitar um caso de suicídio.

Tenha em mente que no Brasil existe uma instituição que oferece apoio e também atua na prevenção ao suicídio. O Centro de Valorização da Vida (CVV) é uma associação sem fins lucrativos.

Desta forma, a ONG disponibiliza um número 188 e o portal no próprio site para quem precisa conversar.  O telefone e o chat funcionam 24 horas, todos os dias da semana.

Conhece alguém que está passando por uma situação parecida? Não deixe de demonstrar seu apoio e ajudar!

 

Como abordar este assunto no ambiente corporativo?

Este é um assunto muito importante que deve ser falado no ambiente corporativo, principalmente, porque o suicídio está muito ligado à saúde mental.

Sendo assim, além de conscientizar colaboradores, é fundamental que os mesmos contribuam para reduzir o estresse, tensão e ansiedade, a fim de proporcionar um ambiente mais tranquilo.

Portanto, os gestores precisam trabalhar ações pontuais que servem como apoio para os funcionários. Veja algumas ações que devem ser consideradas:

  • Realização de palestras com especialistas;
  • Compartilhamento de conteúdos sobre saúde mental;
  • Realização da campanha Setembro Amarelo na empresa;
  • Treinamento para líderes identificarem os sinais em colaboradores;
  • Parcerias com outras empresas de saúde e bem-estar para terapias.

 

A Talst Contabilidade é uma empresa que se preocupa com a saúde mental e física de seus colaboradores.

Acreditamos que abrir espaços para o diálogo é importante para que os funcionários se sintam à vontade para expressar suas opiniões e sentimentos e, assim, garantir o bem-estar.

Sem dúvidas, um ambiente corporativo saudável também proporciona atividades mais tranquilas e eleva a produtividade, uma vez que os colaboradores sentem que têm todo apoio necessário.

Esperamos que este conteúdo possa ajudar a abordar este assunto na sua empresa, identificar colaboradores em situação de risco e promover um local de trabalho saudável.

Confira mais conteúdos no Blog da Talst Contabilidade e conheça mais dicas!