em Artigos

Entender como funciona o regime tributário e saber em qual o regime a sua empresa está inserida, é fundamental para não acarretar no pagamento de impostos desnecessários, e pensando nisso, decidimos apresentar soluções que podem fazer a diferença para o seu negócio.

 

Como isso é possível? Veja abaixo todos os detalhes dessa possibilidade.

No início do ano, fizemos uma postagem aqui no blog explicando sobre o Planejamento Tributário e como é possível reduzir a carga de impostos, falamos também sobre os tipos de regimes e a porcentagem de impostos que cada um deles estabelecem para certos tipos de negócios, e após isso, uma representante comercial procurou a equipe da Talst para esclarecer dúvidas sobre quais atividades poderia inserir em seu CNPJ, pois todas as atividades vistas por ela estabelecia a cobrança de impostos de 15,5% e devido a isso, a mesma achou difícil abrir um negócio. Após entrar em contato com os especialistas da Talst, que deu a possibilidade de colocar outro tipo de atividade do CNAEs – Classificação Nacional de Atividades Econômicas, códigos que determinam em quais atividades as empresas podem atuar, semelhante ao o que ela queria prestar, fizemos uma consultoria de constituição empresarial, e uma análise de regime tributário, com reajuste da proporcionalidade do fator R e conseguimos reduzir 9,5% de tributos. Concluímos que no primeiro mês a representante comercial pagaria mesmo o valor de 15,5%, mas que a partir do segundo mês, esse imposto cairia para 6%.

O fator imposto não a impediu de exercer sua atividade empresarial, precisava apenas de adequação e foi justamente o que os nossos especialistas fizeram.

 

E quais são os Regimes Tributários que cabem para cada empresa?

O Simples Nacional pode ser aplicado para micro e pequenas empresas com o faturamento de até R$ 4.8 milhões de reais por ano, e uma das vantagens é que a apuração dos valores dos impostos, são recolhidos em uma única guia, o DAS (documento de arrecadação do Simples Nacional).

Já o Lucro Presumido, é um tipo de regime tributário escolhido por muitas empresas prestadoras de serviços. O limite de faturamento da empresa deve ser de até R$78 milhões e é necessário pagar trimestralmente o IRPJ (Imposto de renda para Pessoa Jurídica), que conta com uma alíquota de 15% e o CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), esta alíquota fica entre 9% e 32%.

E por fim, o Lucro Real que é uma modalidade escolhida por empresas maiores, e como o nome mesmo já diz, ele é apurado com base em lançamentos contábeis que no final de um determinado período gera um resultado, seja de lucro ou prejuízo, e através disso, a empresa recebe uma tributação.

Veja mais detalhes sobre o Regime Tributário através deste outro conteúdo em nosso blog, clique AQUI!

Vale lembrar que o fator R serve apenas para as empresas que escolhem o Regime Simples Nacional. No caso dessa representante comercial, nós calculamos o faturamento bruto + folhas de gastos e pagamentos dos últimos 12 meses e chegamos ao resultado da inserção da empresa para o Anexo III, que após a análise ocorreu a redução de tributos, sendo este o mais vantajoso.

 

O que são esses Anexos?

Existem os Anexos III e V, que servem para analisar as alíquotas de acordo com a faixa da receita bruta, e podem identificar em qual a empresa se engloba para o recolhimento de tributos sobre a prestação de serviço conforme a atividade realizada.
Após expor informações sobre os Regimes Tributários e fator R, queremos também apresentar um breve resumo de como uma empresa pode ser constituída. Esta constituição pode se dar das seguintes formas: singular no caso o empresário (ENI) ou com estabelecimento que também pode ser de forma individual, sendo esta de responsabilidade limitada (EIRL). Essas são uma das principais, pelas quais podem vir a constituir uma empresa.

 Se interessou pelo assunto? Deseja fazer uma análise do seu Regime Tributário? Procure a equipe da Talst Contabilidade, estamos prontos para esclarecer todas as suas dúvidas.

 

Postagens Recomendadas
Open chat
Powered by