Reserva de emergência: o que é e como montar?

Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter

Que o dinheiro pode ser a solução para muitos problemas, isso todo mundo já sabe, mas quando de repente você é acometido por uma situação financeira desagradável e descobre que se tivesse feito uma reserva financeira, talvez a experiência teria sido diferente. Pois é, isso costuma acontecer com muita gente, e é em situações assim que percebemos o quanto a educação financeira no Brasil precisa ser reconsiderada.

Não é atoa que falar sobre investimento, poupança e até aplicações financeiras pode até parecer um pouco complicado, principalmente para os brasileiros que não têm o hábito de guardar dinheiro. Embora este mau hábito seja constante, acabam por sofrer com dívidas e pagamento de juros abusivos por não se planejarem corretamente.

Mas o que você realmente precisa saber e o que fazer para evitar passar por esses eventuais problemas financeiros? Como começar a guardar dinheiro e ter uma vida financeira mais saudável? Essas e outras perguntas vamos responder ao longo deste artigo e se você, assim como outras pessoas, também precisam entender sobre a importância de fazer uma reserva de emergência para evitar apertos em momentos de necessidades, então continue a leitura deste texto e veja o que fazer.


O que é reserva de emergência?

 Assim como o próprio nome já diz, a reserva de emergência é um dinheiro que precisamos ter guardado em caso de imprevistos. Quem nunca se deparou com uma reforma, a perda do emprego, ou teve que fazer uma viagem de última hora, e precisou de uma quantia considerável para custear tal eventualidade?  Essa reserva de dinheiro pode ser a chave para evitar qualquer tipo de problemas com dívidas e trazer ainda mais tranquilidade na hora que a dificuldade bater, é por essa e outras razões que fazer uma reserva de emergência é tão importante.

E a pergunta que não quer calar …

“ Quando é a melhor hora para começar a fazer a reserva de emergência? ”

O quanto antes começar é melhor, é muito errado achar que é preciso esperar um determinado tempo para guardar dinheiro, o que você deve ter em mente é que este valor deve ser aplicado em um investimento com o prazo mais curto já que uma hora ou outra será preciso realizar um resgate em caso de necessidade. Os bancos disponibilizam diversas opções de investimentos além da poupança e com taxas consideráveis, para saber melhor qual é a melhor opção, entre em contato com o gerente da sua conta e estude cada possibilidade.

 

Como se planejar para não passar aperto?

Não existe um segredo para isso, afinal praticamente todo ano é sempre a mesma coisa, é preciso apenas saber se organizar para o cumprimento das obrigações.

Após as festas de final de ano, em janeiro quem tem carro deve pensar no IPVA, que corresponde a 4% do valor do veículo e que vence neste mesmo mês, além disso as famílias que têm filhos precisam pagar as taxas de matrícula das escolas particulares e o material das crianças, sendo assim deixe um dinheiro reservado para arcar com essas despesas e lembre-se, coloque tudo no papel para não esquecer.

Em seguida temos o mês de fevereiro e logo é preciso começar a pagar o IPTU que corresponde a 1% do valor do imóvel e caso for realizar uma viagem de férias, não esqueça de listar todos os possíveis gastos que deverão ocorrer. Parece muita coisa, não é? Mas é possível se organizar de modo que não fique com dívidas. Se for seu caso receber o 13º salário, opte por adiantar as parcelas do IPVA e IPTU e aproveite os descontos para economizar mais.

E se por alguma razão você não tiver o valor suficiente para pagar as contas, não se preocupe, é permitido parcelar e em caso do pagamento em cartão de crédito, evite o máximo que puder fazer parcelas, pois o juros podem ser muito altos.

 

Como montar uma reserva de emergência?

Agora que você já sabe como funciona o começo do ano e que precisa se planejar financeiramente para não ficar apertado, também deve saber como montar uma reserva de emergência, e para isso é fundamental ter controle financeiro.

Sendo assim, o primeiro passo é entender de fato todos os seus gastos, despesas fixas e variáveis, desde a conta de luz até os custos não essenciais, em seguida é indispensável entender quanto você ganha e se o salário cobre todos os seus custos, assim fica mais fácil saber o que pode ser mantido ou cortado.

O segundo passo é negociar as dívidas, procurar o banco para fazer um acordo e aproveitar os feirões para limpar o nome e parar de pagar juros altíssimos, se você realmente quer guardar dinheiro, então deve se livrar das dívidas. O que te impede também de guardar dinheiro é fazer muitas parcelas, crediário e carnê, opte por diminuir a quantidade de compras parceladas e pagar sempre à vista, assim o dinheiro não fica comprometido.

O terceiro passo é definir uma meta de valor realista que deseja poupar todo mês, lembre-se de levar em consideração as contas que você paga todo mês e o quanto sobra de dinheiro após o pagamento. Considere o seguinte exemplo: experimente separar todos os custos mensais e multiplique por 6, o resultado é o número da sua reserva de emergência. Depois de definir a meta, escolha o investimento de acordo com o seu perfil, entre as opções, você pode escolher desde o título de Tesouro Direto até um Fundo de Investimento de renda fixa.

 

Qual o melhor investimento para reserva de emergência?

 Após definir a sua meta da reserva de emergência, que tal conhecer mais sobre as opções de investimentos?

Tesouro Direto: O Tesouro Direto é um título público e existem três opções que você pode escolher para investir:

  • IPCA+ = título atrelado à inflação;
  • Selic = título atrelado à taxa básica de juros;
  • Prefixado = título com taxa fixada previamente.

Além disso, também existe a opção do Tesouro Nacional, no entanto há limitações, as aplicações são a partir de R$30,00 e em caso de saque, o dinheiro pode demorar até  1 dia útil para cair.

 

Fundos de Investimento: O fundo de investimento é uma opção muito comum para fazer a reserva de emergência, no entanto é preciso ter muita atenção com relação às taxas administrativas e à rentabilidade, pois quanto maior for, maior será o risco, além disso as taxas administrativas também podem ser descontadas da rentabilidade, por isso é tão importante saber que o rendimento pode ser menor que outras investimentos.

Poupança: Apesar de muita gente escolher a poupança para fazer a reserva de emergência, muitas vezes não tem noção de que podem estar perdendo boas oportunidades ao fazer essa escolha, pois a remuneração é de 0,5% ao mês, sem contar que só rende uma vez ao mês, e na data de aniversário, em comparação com o Tesouro Selic, que a remuneração é diária. Por isso é importante entender que, ao escolher essa aplicação ao invés do Tesouro Selic, que rende 100% da taxa Selic, o investidor deixa de ganhar maior rentabilidade para constituição da reserva de emergência.

 

 A reserva de emergência deve ser usada em situações inesperadas e a ideia de ter um dinheiro guardado é justamente para evitar pedir emprestado ou até quem sabe entrar no cheque especial. Agora preste muita atenção, essa reserva não deve ser usada para lazer, por isso cuide bem do seu dinheiro e após usar, é imprescindível que comece a recompor para usar em uma próxima emergência.

É fundamental ter em mente que a reserva de dinheiro é um aliado caso ocorra uma situação inesperada, além disso se adequar a este novo hábito pode te dar mais disciplina com a organização das suas finanças e mais conhecimento sobre investimentos, rentabilidade e saúde financeira.


Quer mais dicas para cuidar do seu dinheiro? Então siga a Talst Contabilidade  nas redes sociais:

Instagram , Facebook , Linkedin Youtube , todos os dias publicamos conteúdos para contribuir com o sucesso do seu negócio.

Categorias