Principais dúvidas sobre o Imposto de Renda: O que você precisa saber para não se perder na burocracia.

Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter

Criado literalmente para acertar as contas dos últimos 12 meses, o Imposto de Renda é um imposto estabelecido pelo Governo Federal em que a população é obrigada a declarar seus rendimentos. Mas calma, existem algumas categorias específicas as quais o contribuinte deve se enquadrar, assim como o valor total do seu rendimento ao longo do ano, e como este é um assunto um tanto complexo, estamos aqui para descomplicar todas essas questões, por isso vamos responder às principais dúvidas sobre o Imposto de Renda para você não se perder na burocracia, acompanhe a leitura completa deste artigo e veja tudo o que você precisa saber.

 

Mas afinal, quem precisa se preocupar com a declaração do Imposto de Renda? É claro que nem todo mundo precisa se preocupar, de fato somente aqueles que tiveram seus rendimentos maiores do que R$ 28.559,70 durante o ano. Apesar desse procedimento parecer pouco simples, o mesmo funciona da seguinte maneira: a Receita Federal que é o órgão fiscalizador analisa através da sua declaração todos os seus rendimentos, ou seja o quanto você ganhou, assim como também analisa os gastos dedutíveis do ano e compara com o que foi recolhido em cada mês e o resultado indica se você deverá recolher imposto ou ser restituído.

  

Quem é obrigado a declarar o IR 2021?

São obrigados a declarar Imposto de Renda as pessoas que se enquadram nas categorias estabelecidas pela Receita Federal, também conhecidos como: rendimentos tributáveis, não tributáveis, capital entre outros, por isso temos:

  • Quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$28.559,70 durante o ano de 2020;
  • Quem recebeu rendimentos na fonte superior a R$ 40.000,00 durante o ano de 2020;
  • Quem exerce atividade rural com receita bruta acima de R$142.798,50;
  • Quem até o dia 31/12/2020 possuiu imóveis, veículos e outros bens cujo valor total é superior a R$ 300 mil;
  • Quem recebeu dinheiro por conta da alienação de bens e direitos ou realizou operações em bolsas de valores ou semelhantes;
  • Quem recebeu o auxílio emergencial e teve rendimentos tributáveis iguais ou superiores a R$ 22.847,76.

Quem não se encaixa em uma dessas categorias não precisa se preocupar, pois não é necessário declarar.

Quem pode ser dependente?

 Hoje, conforme a evolução do sistema, a declaração de IR dá a possibilidade de incluir dependentes como, esposa e marido, filhos, enteados, avôs e avós, entre outros, no entanto ao incluir um dependente, é importante saber que é preciso acrescentar na própria declaração de Imposto de Renda todos os rendimentos dessa pessoa e que podem ser considerados muitos.

  • Cônjuge ou companheiro de união estável;
  • Ex-cônjuge e filhos que recebem pensão alimentícia
  • Pais, avós e bisavós, desde que tenham recebido rendimentos, tributáveis ou não, de até 22.847,76 reais no ano de 2020, a regra também se aplica para sogros.
  • Filhos e enteados de até 21 anos, ou se forem incapacitados para trabalhar e se tiver até 24 anos cursando o ensino superior;
  • Irmãos, netos e bisnetos de até 21 anos ou menores que você crie e eduque desde que você tenha a guarda judicial;
  • Segundo a própria receita, pessoas incapaz como menores de 16 anos, ou que tenha por enfermidade ou deficiência mental, não têm o discernimento necessário para viver em sociedade;
  • Dependentes que por ventura não moram no país e se enquadram em algum desses critérios.

Tenha em mente que é muito importante informar todos os bens e rendimentos do dependente e ainda tem como vantagem reduzir o valor do imposto que deverá pagar ou aumentar o valor que deverá ser restituído, pois para cada dependente o desconto que equivale a R$ 2.275,08 no IR a ser pago. Para saber quanto vai ter que pagar ou restituir, antes de enviar a sua declaração, não deixe de fazer a simulação na plataforma que emite a declaração.

Quais são os tipos de declaração?

Atualmente podem ser enviadas para a Receita Federal dois tipos: declaração completa em que o contribuinte pode fazer o abatimento do imposto, como por exemplo gastos com saúde, educação e previdência, o desconto do imposto pode ser menor que 20% e a restituição maior. Apesar da plataforma de declaração apontar qual é o melhor modelo de declaração é imprescindível que todos os comprovantes sejam guardados por 5 anos.

E já na declaração simples pode ser aplicado um desconto de 20%  sobre os rendimentos tributáveis recebidos em 2020, desta forma os gastos também podem ser abatidos do cálculo do Imposto de Renda. Por fim, este modelo é mais indicado para os contribuintes que têm suas despesas dedutíveis e que somadas  dão um valor de R$ 2 mil.

 

Quais são os documentos para o IR 2021?

Para a declaração do Imposto de Renda é necessário atenção principalmente com a documentação exigida, pois a falta de um documento pode dificultar ainda mais o preenchimento e a conclusão da declaração. Sendo assim, para deixar tudo ainda mais prático, você contribuinte vai precisará de:

  • RG e CPF,
  • Comprovante de endereços atualizados;
  • Cópia da última declaração de Imposto de Renda;
  • Informe de rendimentos financeiros.

Além desses documentos, será necessário providenciar outros mais específicos, por isso, veja a lista completa aqui.

 

Como calcular o IR?

Entender como funciona o cálculo do Imposto de Renda pode parecer complexo, porém para que as informações fiquem ainda mais claras e objetivas, vamos explicar tudo detalhadamente.

A princípio, é importante saber que além do IR, existem também o Imposto de Renda Retido na Fonte – IRRF. A Receita Federal realiza uma cobrança e imposto que já é retido na fonte e que incide sobre o salário dos trabalhadores que são registrados no regime CLT, além disso este imposto também considera o desconto do INSS, por isso quando o funcionário registrado recebe o salário, o mesmo já vem descontado o IRRF.  Os trabalhadores que recebem o salário de até R$1.903,98 são isentos do IRRF e também já descontado o INSS, caso o salário for maior que isso, tem por obrigação deduzir uma parte.

Veja bem,  através da declaração do Imposto de Renda, o governo fica a par de todas as suas informações pessoais, por isso sabe quanto você gastou, quanto ganhou e ainda calcula para saber se você ainda precisa pagar mais alguma coisa, assim como se deve receber alguma restituição, por essa razão é preciso somar todos os rendimentos e a partir desses valor tirar as possíveis deduções (o cálculo pode variar). Através do site da Receita Federal, é possível verificar quanto você deverá pagar de imposto a partir dos seus rendimentos e gastos.

Portanto, pegue os seus rendimentos do ano e subtraia os descontos que correspondem à base de cálculo da Receita, desta forma seus rendimentos tributáveis já são deduzidos, entenda que quanto maior for a base, maior será a alíquota aplicada sobre ela e o limite máximo é de 27,5%.

 

Veja abaixo a tabela do Imposto de Renda 2021

 

 

 

 

 

A Receita permite que sejam deduzidos gastos com saúde, educação, pensão e doações previdência privada e com dependentes, veja a lista completa neste artigo.

  

Quando acontece a restituição?

Neste ano a restituição do Imposto de Renda deverá acontecer entre 31 de maio e 30 de setembro  em 5 lotes conforme o cronograma estabelecido pela Receita Federal e conta como prioridade para receber nos primeiros lotes idosos, pessoas com deficiência e professores. Veja abaixo o calendário:

  • 1º lote: 31 de maio de 2021
  • 2º lote: 30 de junho de 2021
  • 3º lote: 30 de julho de 2021
  • 4º lote: 31 de agosto de 2021
  • 5º lote: 30 de setembro de 2021

Após descobrir as principais informações sobre o Imposto de Renda, também precisa saber que deixar de fazer a sua declaração de IR pode gerar sérias complicações, seu CPF pode ficar com o status de regularização pendente e isso pode te impedir de realizar várias ações como ter o cartão de crédito aprovado, prestar um concurso público e até obter um empréstimo, além disso, não fazer a declaração pode resultar no pagamento de uma multa de R$ 165,74  e 1% do imposto devido, e conforme o atraso no pagamento o valor pode aumentar.

Outra informação importante que é imprescindível saber é, o que acontece se cair na malha fina? A verdade é,  isso acontece porque a sua declaração apresentou algum erro ou inconsistência e acabou ficando retida e isso implica no recebimento da sua restituição. Após descobrir qual o erro em sua declaração na seção Pendências de Malha na plataforma, faça a correção e envie novamente para a Receita Federal o quanto antes para não ser convocado pelo Fisco.

Sem complicações a Talst Contabilidade te dá todas as informações necessárias para fazer a sua declaração de Imposto de Renda e ainda te ajudamos com todo o processo, entre em contato com a nossa equipe de profissionais que são qualificados e especializados no assunto. Quanto antes você fizer a declaração, mais rápida será a sua restituição!

Categorias