em Artigos

Diferenças entre contabilidade fiscal e gerencial

 

Muitas pessoas nem imaginam, mas nem todo serviço contábil é igual. Ainda que, de uma maneira geral, o contador seja o profissional responsável por registrar os fatos de natureza econômico-financeira e estude as consequências dessa dinâmica, existem vários tipos de contabilidades diferentes.

Entre elas destacam-se a contabilidade fiscal e gerencial. Compreender cada técnica é muito importante, garantindo a contratação correta do serviço mais adequado a sua empresa e as suas necessidades.

Ficou curioso? Continue a leitura e saiba mais!

 

O que é a contabilidade fiscal?

A contabilidade fiscal também pode ser conhecida como contabilidade tributária. Ela é aquela que possui como principal função o gerenciamento dos pagamentos dos tributos de uma empresa.

Para isso, o contador atua por meio de procedimentos específicos, visando registrar e escriturar os fatos geradores de impostos e sobre os quais incidem tributos. Assim, é preciso realizar um controle completo de todo o patrimônio do negócio, de modo a proceder com a correta apuração dos lucros e também o registro e cálculo dos tributos.

Sem esse controle, é difícil recolher corretamente todas as taxas e impostos que recaem sobre a empresa e também de evitar o recolhimento incorreto – o que pode acarretar em multas e sanções ou ainda em pagamentos a mais do que o necessário, comprometendo o caixa da sua empresa.

 

Importância

Todo empresário sabe o quanto a carga tributária é alta e complexa no nosso país. Por isso é imprescindível estar muito bem assessorado em relação à contabilidade fiscal.

Afinal, nenhum negócio deseja incorrer em sonegação e acabar tendo de pagar multas altíssimas ou correndo o risco de perder seu patrimônio, lidar com várias sanções e até fechar as portas.

Uma boa contabilidade fiscal também é capaz de realizar o planejamento tributário. Isso significa entender por quais maneiras legais é possível que a empresa pague menos impostos ou participe de programas de incentivo, receba isenções, entre outros benefícios governamentais.

Esse é um trabalho muito importante. Afinal permite que o seu negócio não comprometa tanto orçamento em impostos e com isso acabe se tornando mais competitivo e lucrativo.

 

O que é a contabilidade gerencial?

Também conhecida como contabilidade de gestão, a contabilidade gerencial é aquela voltada aos administradores e gestores do negócio. Ou seja, o contador atua como um “parceiro” da empresa, oferecendo dados e informações que dão suporte às decisões gerenciais.

Dessa forma, são algumas responsabilidades do profissional que atua na contabilidade gerencial:

  • interpretar os indicadores;
  • elaborar relatórios;
  • apresentar os pontos fortes e fracos do processo operacional financeiro do negócio;
  • oferecer uma análise de cenários.

Como esse tipo de contabilidade trabalha oferecendo informações aos gestores, ela necessita da participação e da colaboração precisa dos administradores da empresa. Além disso, ela pode ser realizada de acordo com as exigências do negócio, como com balanços mensais, trimestrais, semanais etc. sem que haja, necessariamente, um formato padrão.

Algumas das características básicas desse tipo de contabilidade são:

  • é seletiva, ou seja, não utiliza todas as informações contábeis, apenas aquelas referentes ao objetivo da análise e que são úteis a determinado propósito;
  • possui ênfase no futuro, pois para apoiar a tomada de decisões precisa ser focada em cenários futuros;
  • oferece apenas informações e não toma decisões pelo gestor, já que as conclusões das análises devem ser feitas pelos diretores do negócio;
  • não se limita a regras e convenções específicas, ao contrário, é personalizável às necessidades e particularidades de cada empresa;
  • é estratégica, ajudando na tomada de decisões importantes.

 

Importância

Depois de ler sobre o que é a contabilidade gerencial, já deu para notar como ela é importante, não é mesmo? Afinal, com dados precisos, fica mais fácil para os gestores tomarem decisões mais acertadas, favorecendo a lucratividade e o crescimento da empresa.

Com esses dados, é possível pensar em medidas para reduzir custos, compreender o calendário de vendas, otimizar operações e até identificar os momentos certos para expandir, retrair, lançar novas linhas de produtos, iniciar as operações no exterior etc.

A contabilidade gerencial ainda pode se utilizar de ferramentas não financeiras. Por exemplo, o Valor Econômico Agregado (EVA) – utilizado na avaliação dos negócios – ou o Valor Agregado de Mercado (MVA) – empregado na criação de valor para os acionistas ou sócios.

Assim, o contador se torna um parceiro muito importante da empresa, oferecendo informações essenciais sobre todos os aspectos da geração de resultado, além de alternativas para aumentá-lo e formas de conseguir destacar a companhia.

 

Contabilidade fiscal e gerencial: quais as diferenças?

Como você viu, a contabilidade fiscal e gerencial possuem muitos pontos de diferença. Enquanto a primeira está mais preocupada em compreender os fatores geradores de tributos e documentá-los de forma correta, passando essas informações ao Fisco dentro do que rege a lei, a segunda age de maneira estratégica, dando suporte às operações gerenciais.

Ambas são extremamente importantes a qualquer negócio. Afinal, é impossível atuar corretamente sem cumprir as exigências legais e pagar as tributações e também é difícil conseguir se destacar em mercados cada vez mais concorridos sem contar com uma informação precisa e adequada sobre a vida financeira do seu negócio.

Quando as duas contabilidades são realizadas de maneira eficiente e profissional, a sua empresa tem muito a ganhar. Pois com essa assessoria será possível:

  • compreender melhor a sua realidade tributária;
  • planejar corretamente a incidência e o pagamento desses tributos;
  • analisar e encontrar medidas legais para reduzir a carga tributária;
  • contar com mais informações sobre todos os setores e a vida financeira do seu negócio;
  • avaliar os momentos mais adequados para tomar determinadas ações;
  • entender quando é a hora de crescer ou retrair;
  • tomar medidas mais acertadas e rápidas destacando o seu negócio;
  • trabalhar com um orçamento mais enxuto;
  • fazer cortes em locais adequados sem que eles interfiram na capacidade produtiva e qualidade da marca;
  • avaliar cenários futuros e planejar ações;
  • tornar a sua empresa mais otimizada financeiramente e mais competitiva;
  • avaliar possibilidades ainda pouco exploradas, oportunidades financeiras e até mesmo começar a atuar em outros mercados;
  • aumentar a lucratividade.

Como você viu neste post, ainda que a contabilidade fiscal e a gerencial tenham diferenças básicas entre elas, ambas são de extrema importância para qualquer negócio que deseje prosperar e crescer.

Por isso, contar com uma assessoria especializada e que esteja acostumada a lidar com os vários tipos de contabilidade e soluções contábeis é muito importante.

Se quiser dispor desses serviços no seu negócio, venha conversar com o time da Taslt e descubra como, juntos, podemos fazer a sua empresa prosperar ainda mais!

Postagens Recentes
Contabilidade em Jundiaí: 11 dicas para escolher o escritório contábil!