em Artigos

Como saber se a sua empresa está no regime tributário mais vantajoso? Ensinamos você.

 

Para quem acompanha o Instagram da Talst (@talstcontabilidade), semana passada fizemos um post perguntando para as pessoas se elas sabiam se o regime tributário delas está sendo vantajoso. Agora perguntamos para você, o seu está sendo?

Fique tranquilo, se você não sabe responder esse questionamento. Hoje estamos aqui para te ajudar!

A escolha errada do regime tributário pode levar o seu negócio a pagar mais tributos, por isso é necessário estudar cada regime e entender qual fará mais sentido para o momento atual da sua empresa. O mais conhecido, sem dúvidas, é o Simples Nacional, mas será que a sua empresa está aproveitando esse regime? Ou é melhor fazer uma pesquisa e entender qual o correto?

Primeiramente, se você quer entender melhor sobre cada um dos regimes, fizemos um texto específico, com todos os detalhes do Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real. Confira:

Para começar a traçar o caminho para o regime tributário ideal para o seu negócio, será necessário você analisar alguns detalhes como: faturamento bruto, margem de lucro, folha de crédito e pagamento tributários da sua empresa.

Em algumas situações, não é ideal escolher o Simples Nacional, pois as alíquotas são progressivas, já no Lucro Presumido e Lucro Real, as porcentagens são fixas. Um detalhe muito importante também, é que o Imposto de Renda – Pessoa Jurídica, é apresentado com fundação nas margens de lucro, e não receita bruta.

A margem de lucro é um ponto fundamental para você fazer o cálculo, com a porcentagem dela você vai conseguir analisar qual regime pode ser o ideal para você. Por exemplo: Algumas ações tributadas pelo Lucro Presumido possui alíquotas que presumem até 32% de lucro. Então, se a empresa possui uma margem de lucro de 20%, por exemplo, o Lucro Real pode ser a escolha perfeita.

 

DICA TALST: FATOR “R”

 

O que é o Fator “R”?

É um cálculo que conecta os dois pontos importante da sua empresa: o faturamento bruto + gastos da folha de pagamento, dos últimos 12 meses. Ele é calculado mensalmente para você ter um acompanhamento mais denso dos resultados.

 

Esse cálculo é utilizado em qual regime tributário?

Ele é utilizado para quem escolhe o Simples Nacional. Tem o objetivo de identificar o Anexo em que a empresa engloba, Anexo III ou V, para o recolhimento dos tributos incidentes sobre a prestação de serviço, dependendo da atividade realizada. As alíquotas do Anexo III são menores e mais vantajosas em relação às do Anexo V.

 

Como funciona o cálculo?

Possui uma fórmula simples para você seguir, que é dividindo o valor da folha de salários pelo faturamento bruto, observe:

 

Fator “r” = folha de salários dos últimos 12 meses / receita bruta dos últimos 12 meses

Se o resultado for igual ou superior a 28% ou 0,28, o prestador de serviço será tributado pelo Anexo III. Se for abaixo, será pelo Anexo V.

 

O que são esses anexos?

Confira as alíquotas para cada anexo, de acordo com cada faixa de receita bruta:

ANEXO III

1ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de até R$ 180.000 – Alíquota: 6,00%
– 2ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 180.000,01 a R$ 360.000 – Alíquota: 11,20%
– 3ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 360.000,01 a R$ 720.000 – Alíquota: 13,50%
– 4ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 720.000,01 a R$ 1.800.000 – Alíquota: 16,00%
– 5ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 1.800.000,01 a R$ 3.600.000 – Alíquota: 21,00%
– 6ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 3.600.000,01 a R$ 4.800.000 – Alíquota: 33,00%

ANEXO V

1ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de até R$ 180.000 – Alíquota: 15,50%
– 2ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 180.000,01 a R$ 360.000 – Alíquota: 18,00%
– 3ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 360.000,01 a R$ 720.000 – Alíquota: 19,50%
– 4ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 720.000,01 a R$ 1.800.000 – Alíquota: 20,50%
– 5ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 1.800.000,01 a R$ 3.600.000 – Alíquota: 23,00%
– 6ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 3.600.000,01 a R$ 4.800.000 – Alíquota: 30,50%

 

Quais atividades estão sujeitas ao Fator “R”?

Entre elas estão:
Academias desportivas e de atividades físicas em geral;
Escolas de ioga, dança, capoeira ou artes marciais;
Empresas de auditoria ou consultoria;
Clínicas de nutrição;
Estúdios de design;
Empresas que montam estandes para eventos;
Fisioterapia;
Jornalismo;
Medicina, medicina laboratorial, medicina veterinária e enfermagem;
Odontologia;
Psicologia e psicanálise;
Acupuntura e terapia ocupacional;
Serviços de tradução e interpretação.

Com essas perguntas podemos concluir que, sim, são muitos detalhes para você analisar e ver se a sua empresa está em um regime tributário vantajoso, e também, muitas perguntas novas podem surgir a partir do momento que você começar a pesquisar mais a fundo sobre todos esses mínimos detalhes.

Mas fique tranquilo, a equipe da Talst pode te ajudar a resolver isso e você pode continuar em seus projetos normalmente. Assim sua empresa cresce saudável e o mais importante, no caminho certo!

Postagens Recentes
Open chat
Precisa de ajuda?